sábado, 24 de janeiro de 2015

"Hoje eu vou sair para encontrar o amor
Espero a tanto tempo e ainda não rolou
O vento diz que é hoje em meio à multidão..."
— Me encontra (Charlie Brown Jr.)





          A escuridão do quarto foi interrompida de repente por uma luz cegante e irritante, tive de me controlar para não saltar da cama e pular no pescoço de quem quer que tivesse aberto as cortinas.

— Mas que... Quem diabos abriu essa... Arr — resmunguei irritada, abri um olho e olhei em volta no quarto, assustei-me quando alguém pulou de repente no meu campo de visão.
— Acorda sua dorminhoca, me admira que você só me veja duas semanas por mês e mesmo assim ainda não ligue quando venho te ver — fingiu-se de ofendido Harry.
— Hazza!! — Gritei pulando da cama direto nos braços do meu meio-irmão mais velho.
— Ah, sim. Eu gosto mais dessa recepção — brincou Harry.
— Eu pensei que só te veria a tarde — murmurei ainda agarrada a ele, com as pernas entrelaçadas em volta de sua cintura e os braços ao redor de seu pescoço, ele riu, mas continuou segurando-me pelas coxas, para que eu não caísse.
— Saí de casa pela madrugada só para te ver o quanto antes, espero não ter de decepcionado, se quiser eu volta mais tarde — provocou Harry, dei um tapa em seu ombro e me afastei o suficiente para olhá-lo nos olhos.
— Você é um grandessíssimo idiota — brinquei.
— E você é muitíssimo gostosa — revidou fazendo-me corar, dei-lhe outro tapa e o mesmo me jogou na cama, gritei quando ele caiu em cima de mim, me esmagando contra o colchão.

Harry e eu nos conhecemos há quase três anos, que foi quando nosso pai revelou a existência de um para o outro, desde então somos inseparáveis.
Harry e eu nos revesamos para visitar um ao outro duas vezes por mês, passando então duas semanas ou mais juntos, geralmente passamos o mês inteiro juntos, principalmente agora que ambos terminamos o colégio e temos mais tempo livre que o normal.
Harry e eu passamos três semanas juntos, então ele teve de ir para casa ajudar a mãe com alguns problemas, mas voltou agora para passarmos o fim de semana juntos, por insistência dele, já que eu preferia ficar sozinha.
Na verdade eu aproveitaria o fim de semana sem ele para encontrar um 'amigo', mas Harry se negou veemente a me deixar sozinha com um desconhecido, então ele decidiu vir me acompanhar.

— Vamos passar o dia na cama? Podemos ficar aqui e dormir, assistir, comer, ou sei lá — propôs Harry, mas eu sei que ele não quer que eu saia com o Liam, por isso está fazendo essa proposta tentadora.
— Não, Harry! Eu te falei que ia sair hoje, por isso nem venha tentar me fazer mudar de ideia — reclamei me contorcendo e saindo de debaixo dele, ajoelhei-me na cama, mas ele me segurou pelo pulso.
— Não vá, maninha, não me deixe! — choramingou Harry dramaticamente.
— Deixa de ser bobo, Harold.
— Não me deixe por um babaca que você nem conhece — resmungou e puxou-me de encontro a ele, o estapeei para que me soltasse, mas ele me agarrou com força e me puxou para deitar ao lado dele.

Resultado de imagem para gifs casal briga cama

— Não seja ridículo, Harry, eu vou sair com ele sim — insisti tentando me soltar de seus braços fortes e grudentos, mas ele começou a me fazer cócegas e logo ambos começamos a rir.
— Por quê? — perguntou, de repente ficando sério e esperando minha resposta.
— Porque faz tempo que eu não saio com um cara legal, quero satisfazer minhas necessidades, baby — brinquei mexendo o quadril ao ritmo de uma música imaginária, sabendo o quanto Harry fica bravo com qualquer menção a namorados.
— Tá brincando? Você enlouqueceu se acha que vou te deixar sair com esse babaca — guinchou Harry, ele segurou meus braços e ficou em cima de mim, me imobilizando.
— Ele é legal, Hazza, dê uma chance a ele.
— Ainda não entendi por que você quer sair com ele — murmurou Harry, a voz rouca e sensual, puta merda, odeio quando meus sentimentos se envolvem em nossas brincadeiras, é sempre perigoso demais.
— Porque faz três meses que eu não fico com alguém, porque você é muito ciumento! — sussurrei desafiadora, ele riu.
— Ah, baby, não seja por isso... Eu posso cuidar de suas necessidades — brincou esboçando um sorriso travesso.
— Não entendi — murmurei, não contendo um sorriso em resposta.
— Eu cuido de você, baby, não precisa de um babaca qualquer — sussurrou Harry, ele beijou minha clavícula e subiu lentamente pelo meu pescoço, beijando-me castamente, senti meus pelos se eriçarem em resposta, ah, merda!


— Harry... — sussurrei em meio a um gemido, Harry riu, idiota. — Está vendo? Estou tão carente que meu corpo responde até ao meu próprio irmão — resmunguei o empurrando, ele caiu ao meu lado gargalhando feito uma hiena.
— Amor, não tenho nada contra eu mesmo curar sua carência — provocou se divertindo, o filho da mãe.
— Idiota! — Reclamei me levantando e trancando-me no meu banheiro.

Meu quarto não é muito grande, mas é o suficiente para mim, meu banheiro também não é luxuoso, mas dá para o gasto. 
Despi-me. Entrei embaixo da água quente e levei uns bons quinze minutos ali, relaxando e me preparando mentalmente para insultar Harry o máximo possível.
Ao sair do boxe, enrolei-me em uma toalha branca e enrolei o cabelo molhado em outra toalha, saí do banheiro e vi Harry estirado em minha cama, cantarolando uma música e olhando para o teto.

— Saia, Harold, vou me trocar — murmurei autoritária, ele riu.
— Querida, se eu vou ter de satisfazer suas necessidades, uma hora eu terei de vê-la como veio ao mundo — provocou divertido.
— Seu babaca! — Reclamei pegando uma almofada da poltrona e arremessando contra ele.
— Já estou saindo, baby, lhe dou dois minutos — avisou antes de sair do quarto e fechar a porta atrás de si.

Procurei uma roupa no meu guarda-roupas e vesti-me o mais rápido possível, assim que terminei de vestir o cardigan Harry entrou no quarto com a mão no rosto, mas os dedos separados, olhando por entre eles.
Sorri e joguei a toalha no rosto dele, que a segurou antes de atingi-lo e a pendurou no cabideiro ao lado da porta do banheiro.

— Aonde vai, querida? — perguntou Harry. 
— Eu vou ao shopping, vamos comigo? — perguntei docemente.
— Claro, vai comprar o quê? 
— Ah... Roupa, preciso de algo legal para usar hoje à noite.
— Claro, hoje à noite — resmungou Harry.
— Ah, Hazza. Vamos lá, por favor, você pode me ajudar a escolher algo bem bonito, o que acha? — pedi carinhosamente, ele sorriu e balançou a cabeça.
— Tudo bem, vamos lá, então.
— Obrigada, baby, você é o melhor. Amo você — agradeci o abraçando, ele suspirou e sorriu.
— Amo você também, Mav, vamos de uma vez, antes que eu mude de ideia.

Segui Harry até a sala, onde minha mãe assistia tevê, ela olhou para nós dois e sorriu.

— Bom dia, docinho — cumprimentou-me, dei-lhe um beijo na bochecha e segui em direção à porta.
— Vamos ao shopping, mãe, até mais — despedi-me.
— Tudo bem, ligue se precisar. Amor, cuide da minha garota — falou a Harry, ele assentiu e deu um beijo na bochecha dela antes de me acompanhar.
— Pode deixar, Mare.

Esperei em frente ao carro, Harry apertou o botão para desativar o alarme do carro dele e então acomodei-me no banco do motorista, ele cruzou os braços e me encarou severo, abri um sorrisinho inocente e implorei para que ele me deixasse dirigir, depois de muita relutância ele enfim concordou e se acomodou ao meu lado, no banco do passageiro.
Durante o curto percurso até shopping, Harry ligou o rádio e gritou a plenos pulmões junto de Justin Timberlake, sua voz é tão linda, meio rouca e com um timbre perfeito, o mais incrível é que ele não desafina de jeito nenhum, mesmo quando eu faço uma curva desajeitada e ele voa de encontro a janela.
Quando a música acabou eu pedi que colocasse King Of Pain, do The Police, e cantasse para mim, ele não fez nenhuma objeção, apenas colocou a música e presenteou-me com sua bela voz cantando a minha música preferida.

— "I'll aways be king of pain..." — finalizou ele, seu belo timbre invadindo meus ouvidos e fazendo-me delirar, mas concentrei-me em estacionar em uma vaga pequena do imenso estacionamento subterrâneo do prédio.
— Isso foi lindo — murmurei ao desligar o carro.
— Obrigado, você é uma ótima motorista — elogiou-me, sorri timidamente.
— E você é um ótimo professor, obrigada!

Harry sorriu e ambos saímos do carro, joguei as chaves para ele e o mesmo travou o carro enquanto seguíamos até o elevador.
Paramos lado a lado e ele colocou o braço ao redor dos meus ombros, ele começou a assoviar enquanto o elevador subia lentamente até o segundo andar. Na primeira parada algumas pessoas se juntaram a nós, conversando e rindo alto, Harry continuou inabalável com seu assovio alto e bem melodioso.
Ao sair do elevador nós entramos na primeira loja de roupa que vimos, não era uma loja de marca famosa, mas tinha roupas lindas lá.
Harry aguardou pacientemente enquanto eu escolhia algumas roupas para provar, ele até me ajudou a escolher algumas, mas logo se aborreceu e se sentou em um sofá estofado para me esperar.
Provei várias roupas até me decidir por um vestido e saltos altos bem bonitos, Harry parecia inconformado com a minha insistência em ir ao encontro.
Mas ele não entende que eu preciso ir, tanto para me distrair um pouco, quanto para me ajudar a tirá-lo da cabeça, pois ele é meu irmão, e eu não posso continuar pensando no meu próprio irmão.
Quando acabei de fazer minhas compras, o que levou pouco mais de duas horas, Harry insistiu para que comêssemos alguma coisa, pois segundo ele: estava definhando. Não objetei, apenas seguimos até a praça de alimentação e nos empanturramos de hamburguer do Burger King.
Compramos algumas guloseimas e decidimos assistir a um filme, compramos ingressos para um filme que começaria em poucos minutos, uma comédia romântica chamada Juntos e Misturados, estrelada por Drew Barrimore e Adam Sandler, nos acomodamos na última fileira, onde tivemos certa privacidade, e nos empanturramos com bobagens, rimos e passamos parte da tarde nos divertindo.
Quando saímos da sala de cinema, depois de ter assistido mais dois filmes aleatórios, já passava um pouco das cinco da tarde, e eu teria menos de duas horas para me arrumar para o meu encontro.
Então Harry dirigiu lentamente e sem a mínima pressa para casa, ainda me provocando e tentando a todo custo me impedir de ir a esse encontro.
Ele estacionou o carro em frente à porta de ferro fechada da garagem e bufou ao desligá-lo, encarei-o divertida e empurrei de leve seu braço, em seguida saí do carro e corri até a porta da frente.
Não esperei por ele, gritei avisando minha mãe que havíamos chegado e corri até o meu quarto, contando nos dedos os poucos minutos que eu tinha.
Andei em círculos pelo meu quarto enquanto procurava tudo o que iria precisar para me arrumar, em seguida tranquei-me no banheiro e tomei um longo banho, depois enrolei-me em um roupão fofinho e atoalhado, sentei-me no vaso, com a tampa abaixada, e pintei as unhas, arrumei o cabelo, me maquiei e me vesti, faltando apenas dez minutos até meu acompanhante chegar.
Saí do banheiro já pronta, peguei meu sobretudo na poltrona e comecei a vesti-lo quando vi Harry encarando-me boquiaberto, sorri timidamente e amarrei a tira do meu casaco.

— Uau! Não acredito que tudo isso é para aquele babaca — murmurou Harry, olhando-me de cima a baixo sem a menor cerimônia.
— Estou fazendo cosplay de Hermes¹, baby — brinquei mudando de assunto e levantando meus pés, um de cada vez, para mostrar a ele os meus saltos alados, ele riu.
— E cadê o caduceu? — provocou levantando-se e pegando minha mão, ele me fez girar e me olhou nos olhos quando voltei a ficar de frente para ele. — Ele não merece tudo isso.
— Algum dia eu vou achar alguém que você ache merecer? — sussurrei melancólica, ele sorriu friamente e balançou a cabeça, desviando seu olhar penetrante do meu.

Ele se afastou e voltou a se sentar na cama, observando-me atentamente, peguei minha bolsa, meu celular, dei uma última checada no meu espelho de corpo inteiro e saí do quarto, sendo seguida de perto por Harry, que estava mal-humorado e, aparentemente, magoado, mesmo eu não sabendo o porquê.
Minha mãe saiu do escritório e nos encontrou na sala, Harry se sentou no braço do sofá e cruzou os braços, ainda emburrado, minha mãe riu ao notar o aborrecimento dele e lhe deu um beijo na bochecha, antes de virar para mim e me abraçar.

— Tome cuidado, docinho, qualquer coisa me ligue.
— Okay, mãe — concordei aceitando o seu beijo na testa.
— Eu proibiria ela de ir, Mare, sabe... — murmurou Harry, minha mãe riu.
— Eu não mando nela desde seus 16 anos, querido, ela sai com quem achar digno — divertiu-se minha mãe.
— Não ligue para ele, mãe, ele provavelmente vai reclamar até o fim da semana por eu sair com alguém — desdenhei, Harry fez uma careta de desgosto. — Mas ele supera.
— Não se preocupe, vou colocar ele para me ajudar com o jantar, ele nem vai se lembrar que você saiu — garantiu minha mãe.
— Duvido — resmungou Harry.

A campainha tocou justamente quando eu abri a boca para provocar Harry, minha mãe abriu um largo sorriso e arrumou os cabelos eriçados enquanto caminhava até a porta, Harry conseguiu ficar mais carrancudo ainda e eu lhe dei um beijo rápido na bochecha antes de Liam Payne seguir minha mãe até a sala, ele estava lindo.

— Olá, Mav, vamos? — perguntou ansioso, ele olhou para Harry e ficou mais nervoso ainda ao ver sua expressão assassina.
— Não vá, Mav, por favor — implorou Harry.


                                                                           

¹- Hermes é um das doze divindades olimpianas gregas, é o deus dos ladrões, viajantes, pastores, mercadores, banqueiros, adivinhos, arautos e outros. Com suas sandálias aladas (com asas; ao que se refere as sandálias de Mavis), veloz como o vento, ele servia como mensageiro dos deuses e conduzia os mortos para o mundo inferior.



Hello girls, como estão?
Bom, tenho um pedido a fazer.
Podem visitar meu novo blog?
Não de Fanfics, apenas alguns textos que eu escrevo e posto lá, vocês podem comentar pedindo para que eu aborde qualquer tema, vou ter o maior prazer de dar minha opinião a respeito =) Escritora Amadora.
Espero que tenham gostado do capítulo, comentem pra mim, eu amei os últimos coments.
Amo vcs divas <3


3 comentários:

Sou como uma escritora, lanço o livro para ser comprado;
Vocês são os compradores e os comentários o pagamento u.u
Faço isso de coração e amo, mas preciso do seu comentário <3

Qual a música? "No one in the world could stop me from not moving on, baby. Even if I want to..."

Por: Milinha Malik. Tecnologia do Blogger.

Cupcakes Visitantes ♫♫

♥Books♥

Translate

Talk to me!!

Twitter

♥Cupcakes♥


widget

Instagram

Instagram

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Hello pessoas,
Sei que muitos não lerão isso, não se importaram com isso, não vão querer ao menos ver isso.
Mas não tem problema, isso aqui é pra quem quer ler.
Sou apaixonada por livros, amo escrever e, acima de tudo, amo One Direction, pois foi graças a eles que eu descobri o meu amor pela escrita.
Não espero que gostem das minhas histórias, mas aos que gostam: Obrigada.
Quem quiser entrar em contato é só seguir no Twitter: @miamelo1d

Agenda!