terça-feira, 30 de dezembro de 2014

"Na minha mente, quando ela não está ali ao meu lado
Eu fico louco, pois aqui não é onde eu quero estar
E satisfação parece com uma memória distante
E eu não consigo evitar
Tudo que eu quero ouvi-la dizer é: "Você é meu?"
Bem, você é minha?"
- Are You Mine? (Arctic Monkeys)



— Eu não vou! — sussurrou ele depois de alguns minutos.
— Ótimo, vou cobrar isso — garanti.
— Que merda, mulher, por que você sempre tem que estar certa em tudo? — perguntou fingindo estar revoltado, ele franziu a testa e umedeceu os lábios.


— Simples, porque eu sou mulher, eu tenho um cérebro, vocês, homens, tem pintos, por isso não pensam antes de fazer burradas — murmurei arrogante, ele riu de verdade pela primeira vez desde que o vi em semanas e isso aliviou o pesar que me tomava.

Ele se inclinou na minha direção e, a poucos centímetros de distância, ele sorriu e beijou minha testa.


— Você é incrível — sussurrou docemente. — Eu ainda a amo, muito mesmo.
— Eu também, Jus, mas não como antes — murmurei desolada, ele balançou a cabeça, assentindo.
— Tudo bem, eu entendo.
— Bom, eu tenho que ir — falei já me levantando.
— Eu te dou uma carona... — ofereceu ele.
— Não, realmente não precisa, Jus, sério — garanti e ele contorceu a boca em reprovação. — Eu vou ficar sabendo se você aprontar alguma coisa, lembre-se que Harry ainda é meu amigo.
— Pode deixar, vou me comportar direitinho — falou ele, jogando um pedaço de biscoito na boca.
— Até mais, Justin, se cuide.

Ele acenou tristemente e eu me virei para seguir até a saída, antes de cruzar a porta dei um leve aperto no ombro de Ethan, despedindo-me dele, ele sorriu e acenou com a cabeça.
Esperei no ponto de ônibus e em menos de 15 minutos já estava entrando no elevador.
Saltei do elevador e corri pelo corredor até o meu apartamento, estava ansiosa para começar logo o fim de semana com o Louis, esses dois dias prometem.
A sala estava cheia de casais, na verdade só dois, Liam e Sara ocupavam um dos sofás, enquanto Niall e Lia ocupavam o outro, eles estavam ocupados demais assistindo a comédia romântica Como Agarrar o Meu Ex-Namorado para prestarem atenção em mim, então segui direto para o meu quarto.
Encontrei Louis esparramado na minha cama, ele levantou a cabeça e sorriu quando me ouviu abrir a porta.

— Pronta? — perguntou ansioso.
— Com certeza, só vou tomar um banho — concordei igualmente animada.

Coloquei mais algumas coisas na minha mochila e corri até o banheiro para me arrumar, depois de um banho refrescante e de vestir uma roupa bem quente, eu voltei ao quarto e Louis já estava com a mochila nas costas e segurando a minha pelas alças.
Peguei a minha mochila e a coloquei nas costas, guardei meu celular no bolso traseiro da minha calça e segui Louis até a sala.

— Estamos indo, pessoal — falou Louis e todos viraram as cabeças para nos olhar, Sara pausou o filme.
— Divirtam-se — falou Lia e sorriu largamente.
— Protejam-se... — murmurou Niall com um tom maldoso e Lia deu um tapa no braço dele.— Do frio, é claro — completou Niall, mas corei ao perceber o duplo sentido de sua frase.
— Babaca! — resmungou Louis e passou o braço pelos meus ombros, me puxando para perto dele.
— Precisam de algo antes de ir? Comida para a viagem? Chocolate quente, talvez? — perguntou Sara solicita.
— Já cuidamos disso, mas obrigada — murmurei apontando para a minha mochila.
— Então boa viagem e cuidem-se — murmurou Liam.
— Obrigado, até mais pessoal — despediu-se Louis, segurando minha mão e me puxando em direção a porta.
— Tchau, gente — murmurei o seguindo.

Nós pegamos o elevador até o estacionamento no subsolo e logo já estávamos dentro do carro do Louis, colocamos as mochilas no banco traseiro e colocamos os cintos de segurança, liguei o rádio e Louis ligou o carro.
As quatro horas seguintes nós conversamos, rimos e cantamos junto com o rádio, Louis estava animado e eu também, finalmente o fim de semana de folga, não que eu não goste de trabalhar na cafeteria, mas é sempre bom ter alguns dias de folga, principalmente se esses dias forem isolados em uma casa de campo com o meu namorado.
A chuva já havia parado quando Louis estacionou o carro na entrada da garagem da enorme casa de campo da família Harper, o céu estava estrelado e limpo, indicando que teríamos uma folga da chuva ou do frio.
Louis pegou as mochilas no banco traseiro ao sair do carro, saí do carro também e pedi a minha mochila, mas ele se recusou a me deixar levá-la, dei de ombros e o segui até dentro de casa. Louis destrancou a porta de entrada e foi direto ligar o aquecedor quando entramos.
Ele deixou as mochilas em cima do sofá e eu me apoiei no encosto do mesmo, cruzei os braços e assisti ele andar de um lado para o outro pela casa, ligando as luzes e fechando as cortinas que Zayn havia deixado aberta.
Andei pela sala até a lareira e vi ali alguns porta-retratos dos rapazes quando crianças, eles quatro brincando na piscina, passeando pela floresta com os pais, eles na formatura do ensino médio. Fui surpreendida por Louis, ele chegou do nada e me abraçou por trás, ele olhou para as fotos por cima do meu ombro e riu.
Louis afastou meu cabelo e beijou meu pescoço com uma lentidão agonizante, mas sensual.



Lentamente ele escorregou minha jaqueta pelos meus braços, tirando-a e jogando-a em um dos sofás, ele fez a mesma coisa com a minha touca e o meu cachecol, em seguida me fez girar e ficar de frente para ele.

— Enfim sós, meu amor — cantarolou docemente, me fazendo rir.
— Sim, enfim sós, baby.

Louis levou a mão até o meu pescoço e acariciou-me ternamente, ele se aproximou lentamente e, suavemente, roçou seus lábios nos meus, a proximidade dele me fez acender como fogo, segurei nas lapelas de sua jaqueta e o puxei para mais perto de mim, ele riu e finalmente me beijou, ah, seus lábios são tão macios, tão beijáveis.



Ele desceu suas mão até minha cintura, explorando e emoldurando meu corpo, ele passou as mão por baixo da minha blusa e acariciou minha pele sensível, passei meus braços ao redor de seu pescoço, prendendo-o em mim e ele subiu as mãos pelas minhas costas, levantando minha camisa junto, ele separou nossos lábios tempo o suficiente para passar minha blusa pela cabeça, depois de tirada ele a arremessou para trás e ela caiu em cima de um vaso cinza decorado com finas linhas negras, ignorando o local onde minha camisa havia pousado ele voltou a me beijar, suas mãos quentes subindo e descendo pelas minhas costas, acariciando-me e excitando-me lentamente..



Escorreguei sua jaqueta pelos seus braços e a joguei em algum lugar da sala, em seguida levei minhas mãos aos seus cabelos e os puxei levemente, Louis gemeu em minha boca e sorriu.


— Hum, baby, vamos subir — falou Louis, em meio a um gemido.
Sem tirar as mãos de mim, Louis me conduziu escada à cima até o seu quarto, ele fechou a porta atrás de mim e me imprensou contra a mesma, beijando-me vorazmente. Lentamente fui levantando sua camisa até ele tirá-la completamente.



 Louis beijou meu pescoço e subiu mordendo e beijando até encontrar meus lábios novamente, ele segurou em minha perna, um pouco acima do joelho, e a levantou, ele pressionou sua pélvis contra a minha e pude senti-lo duro e rígido contra mim, gemi involuntariamente e ele sorriu, ele pegou meu lábio entre os dentes e o puxou.
Louis segurou em minhas nádegas e me pegou no colo, entrelacei minhas pernas em seu quadril e puxei seus cabelos sedosos, fazendo-o esticar o pescoço e me olhar, ele sorriu largamente quando nossos olhares se encontraram.

— Você. É. Minha — falou pausadamente, dando ênfase à sua frase.  
— Sim, sua — concordei e mordi seu lábio, ele gemeu baixinho em resposta.

Louis girou sobre os calcanhares e levou-me em direção à cama, gentilmente ele me deitou sobre os lençóis macios e bonitos e voltou a me beijar intensamente, suas mãos passearam pelo meu corpo até chegar ao cós da minha calça jeans, lentamente ele a desabotoou e a puxou para baixo, levantei meu quadril para ajudá-lo e logo eu já estava somente de lingerie.



Louis sorriu largamente ao largar minha calça no chão e me olhar inteiramente, fiquei levemente corada com a atenção com que ele me olhava, ele tocou minha cintura suavemente e se abaixou para beijar minha barriga, ele subiu distribuindo beijos até os meus seios, levantei o meu torso e ele desabotoou o meu sutiã, jogou-o em algum lugar, Louis beijou meus seios e, suavemente, mordiscou e acariciou-me, me fazendo gemer e me contorcer sob o seu toque.



Lentamente ele desceu mordiscando minha barriga e depositou um beijo sobre minha calcinha de renda preta, gemi em resposta e segurei em seus cabelos, com cuidado ele deslizou a calcinha pelas minhas pernas até retirá-la por completo, ao invés de jogá-la no chão ele a guardou no bolso de trás de sua calça jeans, ele logo voltou a se ajoelhar entre minhas pernas e me beijou lá, naquele ponto íntimo, e eu me contorci toda sentindo seu toque.



Puxei o cabelo de Louis, fazendo-o se levantar e sorrir, seus lábios estavam levemente molhados, como prova da minha excitação, ele pairou sobre mim e me beijou castamente nos lábios, segurei seu rosto e aprofundei o beijo.



Impulsionei meu corpo para frente e o virei na cama, ficando por cima dele, Louis arquejou surpreso e riu.

— O que vai fazer, mocinha? — perguntou divertido.
— Vou despi-lo, senhor — murmurei docemente, ele gemeu e voltou a deitar a cabeça no travesseiro, encarando o teto enquanto eu desabotoava sua calça jeans.

Louis levantou o quadril para facilitar o meu trabalho e, junto com a calça jeans, tirei também sua cueca boxer, liberando-o e deixando-o completamente nu, fiquei momentaneamente maravilhada com o seu membro, me ajoelhei entre suas pernas e o segurei entre minhas mãos, Louis gemeu surpreso e flexionou os quadris de encontro a minha mão, timidamente beijei a pontinha de seu membro, em seguida passei a língua e o provei, Louis gemeu novamente, o enfiei na boca e tentei engoli-lo por inteiro, mas era grande demais, acariciei-o lentamente enquanto ele estava em minha boca e Louis se desmontou sob minhas mãos, flexionando o quadril e arquejando ofegante.



Até que ele me segurou, impedindo-me de continuar brincando, ele me beijou e segurou firme em minha cintura, ele me deitou na cama e pairou sobre mim, Louis esticou o braço e abriu a pequena gaveta do criado mudo, de lá ele tirou um involucro de papel laminado, um preservativo, assisti-o rasgar o papel e vestir seu membro com a camisinha, ele voltou a pairar sobre mim, se apoiando no cotovelo esquerdo e, com a mão direita, ele se posicionou e entrou lentamente em mim, ofeguei deliciada e o puxei contra mim, o beijei e ele se moveu, entrando e saindo de mim lentamente.



Louis aumentou a velocidade, me fazendo gemer mais alto e eu senti todo o meu corpo responder ao seu implacável ritmo, ele segurou em meu rosto e me beijou castamente enquanto investia contra mim, levantando cada vez mais alto, fazendo-me gemer e ofegar, segurei firme em seus braços e senti meu corpo estremecer, respondendo ao contato íntimo que estamos partilhando.

— Vamos lá, querida — gemeu ele entre dentes.
— Ah, Lou... — arquejei sentindo-me desmoronar, entregando-me a ele de corpo e alma definitivamente.

Louis chegou ao seu ápice junto comigo e, depois de investir contra mim uma última vez, ele caiu sobre mim, prendendo-me contra o colchão macio e repousando sua cabeça entre os meus seios.
Acariciei seu rosto ternamente e lhe beijei a testa, ele sorriu e levantou a cabeça, se inclinou contra mim e me beijou apaixonadamente.



Louis saiu de cima de mim e foi ao banheiro se livrar do preservativo, eu me levantei relutantemente e peguei a camisa do Louis que estava no chão, a vesti e recolhi as nossas roupas que estavam espalhadas, dobrei todas e as coloquei em cima da poltrona.
Louis voltou do banheiro e me abraçou, completamente nu, envolvi meus braços em volta de sua cintura e o apertei contra mim.

— Eu amo você, querida — sussurrou ele, fechei meus olhos e absorvi suas palavras apaixonadas.
— Eu amo você também, amor — sussurrei e levantei meu rosto para vê-lo, ele sorriu e pressionou seus lábios nos meus demoradamente.

Ainda me apertando entre seus braços Louis me fez andar até a cama e nos deitamos lado a lado, ele me abraçou e acariciou meus cabelos, fazendo-me adormecer gradativamente.


****

A luz solar preencheu todo o quarto, fazendo-me despertar. Louis ainda estava adormecido ao meu lado, abraçando-me forte, permaneci imóvel para não acordá-lo, procurei o rádio-relógio no criado mudo e vi que não passava das 8 da manhã.
Movi a cabela para olhar pela janela e Louis acordou, ele olhou em volta atordoado e me abraçou mais forte, ele levantou a cabeça e sorriu largamente para mim.

— Bom dia, baby — murmurou com a voz embargada.
— Bom dia, amor.
— Dormiu bem? — perguntou docemente.
— Sim, muito bem e você? — Louis rolou para cima de mim e me beijou.
— Isso responde sua pergunta? — murmurou radiante.

Louis me beijou novamente, dessa vez fazendo-me sentir sua intensidade, seu desejo, acolhi-o entre minhas pernas e só então me lembrei de que não usava nada por baixo de sua camisa.



Louis, que estava completamente nu, pressionou sua ereção contra mim, fazendo me gemer em seus lábios, ele sorriu orgulhoso.

— Hum, amor, camisinha — murmurei entre beijos.
— Claro — concordou já esticando a mão e pegando um preservativo dentro da gaveta.

Louis rapidamente vestiu o preservativo e, delicadamente, me penetrou, investindo rapidamente contra mim, arfei e gemi seu nome, Lou tocou seu nariz no meu e ofegou.



Mas um barulho no andar debaixo nos assustou, ele parou de se mover e escutou atento.
Escutamos o ranger da porta da frente e barulho de salto alto contra a madeira do piso, Louis arregalou os olhos e me encarou.

— Quem será? — perguntou assustado, dei de ombros em resposta.
— Liam? Louis? Meninos? — gritou uma voz feminina, a expressão de Louis se aliviou e ele sorriu ternamente.



Hey gente,
isso vai soar ridículo, mas... kkkkkk
Eu fico tímida após escrever um hot, kkkkkk eu não consigo reler.
Era pra eu ter lido e feito uma revisão do capítulo, mas fiquei com vergonha, então me perdoem qualquer erro de digitação e ortografia kkkkkkkkkkk
Bom, obrigada pelos comentários anteriores.
Tenham um feliz ano novo, cheio de paz, saúde, alegria e AMOR, sem falar em sorte, muita sorte pra vcs, queridas. E que Deus ajude que vocês continuem comigo e que muitas se juntem a nós.
Eu amo vocês minhas divas, amo de verdade!!!!
COmentem pra mim, pleasee <3


2 comentários:

  1. Ta de maisssssssssssssss continuaaaaaaaaaa pleaseeeee

    ResponderExcluir
  2. Eeeeei continuaaaaa por favor

    ResponderExcluir

Sou como uma escritora, lanço o livro para ser comprado;
Vocês são os compradores e os comentários o pagamento u.u
Faço isso de coração e amo, mas preciso do seu comentário <3

Qual a música? "No one in the world could stop me from not moving on, baby. Even if I want to..."

Por: Milinha Malik. Tecnologia do Blogger.

Cupcakes Visitantes ♫♫

♥Books♥

Translate

Talk to me!!

Twitter

♥Cupcakes♥


widget

Instagram

Instagram

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Hello pessoas,
Sei que muitos não lerão isso, não se importaram com isso, não vão querer ao menos ver isso.
Mas não tem problema, isso aqui é pra quem quer ler.
Sou apaixonada por livros, amo escrever e, acima de tudo, amo One Direction, pois foi graças a eles que eu descobri o meu amor pela escrita.
Não espero que gostem das minhas histórias, mas aos que gostam: Obrigada.
Quem quiser entrar em contato é só seguir no Twitter: @miamelo1d

Agenda!