sexta-feira, 24 de outubro de 2014

"Você sabe que me preocupo com você
Sempre estarei aqui para você
Prometo que ficarei bem aqui
Sei que você me quer também
Querida, nós podemos passar por qualquer coisa
Porque tudo vai ficar bem..."
- Be Alright (Justin Bieber)


— Cansada? — perguntou Niall, com um tom levemente divertido.
— Já passa das 3 da manhã, estou exausta — sussurrei em seu ouvido, escutei a gargalhada de Ashton.
— Vamos subir, querida? Também estou cansado — gritou Ashton e Niall esticou o braço para dar um tapa nele.
— Cala a boca, idiota — ordenou Niall, mas ele estava rindo. — Vamos pro quarto? Acho que já passou da hora — sugeriu e beijou a parte sensível atrás da minha orelha.
— Sim, por favor — concordei.
— Ótimo, vamos avisar o Liam e então podemos ir — Niall começou a me guiar por entre a multidão e Ash nos seguiu.

Demoramos um pouco para encontrar o Liam, ele estava ocupada demais dançando com a Becka, mas Niall o puxou pela gola da camiseta listrada e ele se inclinou para Niall falar em seu ouvido, em seguida Liam assentiu e acenou para mim, sorri em resposta e Niall voltou.

— Ashton, nós vamos dormir, se você quiser vomitar por favor use o banheiro, se quiser dormir tem dois quartos de hospedes lá em cima — falou Niall e Ash assentiu.
— Pode deixar irmão, obrigado.

Nos despedimos de Ash e saímos do salão de festas, o restante da casa estava relativamente vazio, subimos a longa escadaria até o segundo andar e deixei que Niall me guiasse até o nosso quarto.
Ele trancou a porta ao entrar depois de mim, caminhei até a enorme janela e puxei as cortinas, fechando-as rapidamente, Niall se jogou na cama e suspirou, tirei meus saltos cor-de-creme e me deitei ao lado dele.
Niall rapidamente me puxou para seus braços e a última coisa de que me lembro foi de suspirar uma última vez aninhada em seus braços, então apaguei completamente.

|☼|☼|☼|

Pisquei lentamente, tentando me acostumar com a escuridão que me cercava, inclinei a cabeça o bastante para ver o rádio-relógio no criado mudo, 8 da manhã, Niall ainda dormia profundamente, me esmagando entre seus braços.
Tive quase 4 horas de sono, até que não foi tão ruim, me lembro de ter caído na cama com Niall e apagado na hora, mas não me lembro de despir o vestidinho de marinheira e ter ficado apenas com a meia sete oitavos branca, a lingerie da mesma cor e uma camisa de botões do Niall.
Niall deve ter cuidado disso, já que ele está usando somente uma cueca boxer preta.
Levantei minha cabeça lentamente para olhar em volta, nosso quarto, nossa casa, nossa vida nova, tudo bem, tudo memorizado.
Voltei a deitar minha cabeça novamente no peito de Niall e fechei os olhos, quando voltei a abri-los já se passava das 11 da manhã e Niall estava acariciando minha bochecha, forcei um sorrisinho para ele.

— Bom dia, amor — cumprimentei-o, ele sorriu.
— Bom dia, querida — murmurou ele docemente.
— Vamos ver a situação da casa agora, ou só mais tarde? — perguntei e ele riu.
— Podemos ver a situação agora, ou... Podemos tomar café e aproveitar o resto do dia para arrumarmos as coisas da Leslie — sugeriu, ainda sorridente.
— Sim, bem melhor.

Niall pulou para fora da cama e desfilou pelo quarto até as cortinas, abriu-as e ficou admirando a vista, enquanto eu admirava a vista do meu lindo namorado só de cueca.
Ele se virou, colocou as mãos na cintura e sorriu.

— Vamos lá, levante dorminhoca — convidou ele e estendeu uma mão para mim.

Me levantei as pressas e alcancei sua mão, em seguida ele me puxou para seus braços.
Depois de me abraçar bem forte ele me levantou, me fazendo rir.



— Vamos lá, vou fazer o café da manhã — falei quando ele me colocou no chão e o puxei em direção a porta de saída.

Descemos até a cozinha, evitando olhar para umas três pessoas que estavam dormindo na sala, devem ser amigos dos rapazes.
A casa estava mortalmente quieta, Niall ficou perto de mim o tempo inteiro, me ajudando a preparar ovos e bacon.
Niall pegou um pedaço de bacon e o jogou na boca, em seguida tentou dizer:

— Bou ber o falão de xestas... — falou de boca cheia, me fazendo rir.
— Tudo bem, vou terminar aqui.

Niall sumiu pelo corredor, enquanto eu terminei de fritar os ovos e de fazer o café preto.
Esquentei uma chaleira de água para fazer chá, procurei nos armários e encontrei uma caixinha de Twinnigs English Breakfast Tea, meu chá preferido.
Coloquei a água quente em uma caneca e deixei um saquinho de chá descansar dentro da água quente, mexi vagarosamente enquanto esperava Niall voltar.
Depois de 10 minutos Niall retornou, com Calum Hood em seus calcanhares.
Niall se sentou em uma cadeira e me puxou para seu colo, ele bebeu um gole da minha xícara de chá e Calum se sentou ao nosso lado.

— Bom dia, Cal — cumprimentei e ele sorriu, colocando bacon no prato em frente a ele.
— Bom dia, Vee, tem Tylenol por aí? Estou com uma dor de cabeça.
— Querido, isso se chama ressaca, e sim, tem Tylenol — falei me levantando do colo de Niall para pegar os comprimidos.
— Obrigado — agradeceu Calum, quando coloquei dois comprimidos em sua mão.
— Onde estão Ashton, Michael e Luke? — perguntei, me revesando entre beber meu chá e ver Niall comer.
— Acho que estão dividindo um quarto de hospedes, Liam se apossou do outro com a namorada, eu dormi no sofá da sala de festa — explicou dando de ombros.
— Alguém ficou no quarto da Leslie? — perguntou Niall, de repente alarmado.
— Não, Harry ameaçou de morte qualquer um que se aproximasse daquele quarto — respondeu Cal e eu ri, Niall relaxou.
— A sala de festas está muito bagunçada? — perguntei a Niall, ele abraçou minha cintura e negou com a cabeça.
— Não, até que está razoável.

Peguei um pedaço de bacon do prato de Niall e o joguei na boca, Niall cortou um pedaço dos ovos e me ofereceu, abri a boca e ele me deu, rindo em seguida.
Calum franziu a testa e fez uma careta diante da cena.

— Vocês dois me dão vontade de vomitar — comentou com uma cara enojada.
— Continue a comer e cale a boca — ordenou Niall.

Calum resmungou um pouco e então voltou a comer, com uma careta que indicava acabei-de-ser-repreendido, ele parecia mais um adolescente rebelde do que um cantor de uma banda pop-rock.
Esperei eles terminarem de comer, tentei me levantar do colo de Niall para retirar a mesa, mas ele me segurou mais forte e me impediu de fazer isso.
Niall apontou o dedo indicativo para Calum e sorriu de uma forma macabra, o que só me fez gargalhar.

 — Cuide da louça — ordenou Niall a Cal. — Tenho uma coisa pra mostrar à Vee.
— Como quiser, papai — desdenhou Calum.

Niall fez uma careta e se levantou, me fazendo levantar junto com ele, sem tirar as mãos de mim ele me guiou até a porta da cozinha, que dá diretamente na garagem.
A garagem estava escura, Niall tateou pela parede em busca do interruptor e o apertou, a garagem foi iluminada imediatamente e eu tive a visão de um carro vermelho-vinho, lindo demais.
Mas, para minha surpresa, não era um simples carro, era um Shelby Mustang GT350 - 1966, só que não em miniatura, como eu costumava ver na cabeceira da cama do Niall, ele comprou um Shelby Mustang, nosso primeiro carro.
Encarei o carro boquiaberta e Niall riu, ele me empurrou para frente, me fazendo chegar mais perto do carro.

— Ah, meu Deus, Niall, você... O Mustang, meu Deus... — gaguejei chocada, Niall se divertiu com minha reação.
— Eu disse que esse seria o nosso primeiro carro, não disse? Agora temos uma família, uma casa e o carro dos nossos sonhos — falou suavemente, me abraçando por trás e beijando meu pescoço.
— Eu ainda não acredito nisso, você é louco? — perguntei, me virando para encará-lo, um sorriso idiota não saía do meu rosto.
— Louco por você, meu amor — murmurou, roçando os lábios nos meus.
— Eu também sou louca por você.

Me equilibrei na ponta dos pés para beijá-lo, ele deslizou as mãos por minha cintura até o começo das meias sete oitavos, então ele meio que gemeu e resmungou com os lábios ainda nos meus.

— Eu tinha me esquecido que você só estava usando minha camisa, vou ter que arrancar os olhos do Calum por ver minha mulher quase nua — murmurou brincalhão, me fazendo rir.
— Deixa de ser bobo, sua camisa serve como um vestido para mim, ele não viu nada além das minhas coxas cobertas pelas meias.
— Vou aceitar essa desculpa, afinal, ele precisa dos olhos — falou e levantou os ombros, tentando não rir.
— Obrigada — sussurrei e me inclinei para beijá-lo novamente.
— Vamos nos arrumar e ir ver a Leslie, o que acha?
— Perfeito! — exclamei, animada com a ideia.

Niall deu dois tapinhas na traseira do Mustang e segurou firme minha mão, me guiando de volta até a cozinha, Calum não estava mais lá e a cozinha já estava limpa.
Niall me puxou em direção às escadas e voltamos para o quarto.
Niall entrou no banheiro para tomar banho enquanto eu procurava roupas para nós dois, ele havia trago roupas em uma mochila para vestirmos hoje de manhã.
Deixei as roupas em cima da cama e Niall saiu do banheiro com uma toalha em volta da cintura.
Niall se aproximou por trás de mim e me abraçou, ele enganchou um dedo no começo da minha meia e puxou, soltou em seguida e o elástico bateu contra minha pele, produzindo um som seco, ele riu e mordeu o lóbulo da minha orelha.

— Banho, já — sussurrou em meu ouvido, mas continuou com os braços em volta de mim.


Me desvencilhei lentamente de suas mãos e corri até o banheiro, rapidamente me livrei da pouca roupa que usava e entrei embaixo da água quente.
Quando enfim pronta, Niall pegou as chaves do Shlelby Mustang de dentro de um dos bolsos da mochila e jogou a mesma nas costas.
A mochila estava cheia com as nossas fantásias, ele pegou minha mão e me guiou porta afora, passamos pelos quartos de hospedes, Liam e Becka estavam em um deles, Liam ouviu a porta abrir e levantou a cabeça.

— Bom dia — cumprimentou ele, com uma voz embargada de sono.
— Bom dia, vamos ver a Les, cuida da casa e bota todo mundo que eu não conheço pra fora, não quero ninguém estranho aqui, entendeu? — sussurrou Niall, para não acordar Becka.
— Pode deixar, deem um beijo na pequena por mim.
— Tá bom, até mais, Leeyum — eu disse, enquanto Niall me puxava e fechava a porta.

Passamos pela sala, onde os estranhos continuavam dormindo, Niall balançou a cabeça negativamente e bufou; seguimos pela cozinha, que estava vazia, e fomos para a garagem.
Niall abriu a porta de passageiro para mim, agradeci e me sentei no banco, puxei o cinto de segurança e o prendi, Niall se sentou ao meu lado, atrás do volante, e também prendeu o cinto.
Niall girou a chave e o motor roncou, um doce sinfonia, esse carro é demais.
Niall apertou o botão de um controle remoto e as portas da garagem se abriram, revelando uma linda paisagem iluminada pelo sol, a neve já foi embora, mas o frio continua.
Fiquei admirada com o carro, Niall estava sorridente e claramente divertido com a minha reação, fomos o caminho inteiro conversando sobre o carro, é perfeito, exatamente do jeito que eu imaginava.
Não demoramos para chegar no orfanato Sunshine Kids, Niall estacionou bem em frente à porta do ofanato e correu para abrir a minha, mesmo que eu já estivesse abrindo-a para sair.
Ele segurou minha mão e apertou o alarme do carro, trancando-o na hora.
Subimos as escadas até a porta de entrada e Niall abriu a porta, me deixando entrar primeiro.
Assim que entramos eu vi crianças brincando no corredor, Geoff, o menininho que eu conheci na minha primeira visita, veio correndo em minha direção e me abraçou, acariciei seus cabelos e lhe beijei a testa.

— Olá Geoff, como vai? — perguntei arrumando seus cabelos, mas eles continuaram espetados.
— Bem, você vai levar a Leslie? — perguntou docemente, um sorriso inocente se abriu em seus lábios.
— Eu não sei, temos que esperar um pouco — falei, olhando de relance para Niall, que estava sorrindo.
— Ah tá, cuide bem dela, tá bom?
— Tá bom, meu anjo, eu vou cuidar — garanti e ele me abraçou novamente.

Ele voltou a correr atrás das crianças e Niall me abraçou de lado, entramos em outro corredor e Niall bateu na porta da diretoria, Sra. Jones gritou:

— Pode entrar.
— Olá, May — murmurou Niall, abrindo a porta.
— Ah, olá crianças, entrem, sentem-se, fiquem à vontade, tenho boas notícias — falou ela, sorridente.

Niall e eu nos sentamos nas duas poltronas de frente para a mesa de May.
Ela abriu um sorriso mais largo que o anterior e retirou uma papelada de dentro de uma gaveta da mesa dela.

— Tem boas notícias para nós? — perguntou Niall, evidentemente animado.
— Se tenho? Ah, é claro, você não sabe, mas venho cuidando dos papéis de adoção da Leslie há muito tempo, desde que você me pediu pela primeira vez, então, agora que a Vee está disposta a assinar os papéis com você está tudo mais fácil, preciso que os dois assinem aqui — falou indicando uma linha pontilhada no fim do papel. — Então poderão levar a Les, já está tudo acertado.
— Jura? — perguntei surpresa, Niall quase pulou na cadeira.
— Hoje mesmo?
— Com certeza, eu sei o quanto vocês querem isso — respondeu May.
— Ah, meu Deus, obrigada, sra. Jones, muito obrigada — falei emocionada, ela sorriu e entregou uma cópia da papelada para o Niall.
— Podemos ir buscá-la? — perguntou Niall.
— É claro, pedi para Sophie arrumar as coisas dela hoje mais cedo, acho que já está tudo pronto.

May se levantou junto conosco e nos levou até a porta, então nos abraçou, desejou felicidades e Niall me puxou pela mão até o berçário, no segundo andar.
Sophie estava dando mamadeira para um dos bebês, Fred, ele é um gracinha e muito esperto.
Ela levantou o olhar quando ouviu a porta e sorriu largamente ao nos ver, Niall a cumprimentou e me puxou direto até o bercinho da Leslie, ele estava acordada e brincando com as próprias mãozinhas.
Niall gemeu de felicidade, me fazendo rir, e se aproximou para pegá-la no colo, deixei que ele brincasse um pouco com ela e fui até a Sophie.
Sophie colocou Fred no berço e juntas arrumamos as roupinhas de Leslie dentro da bolsa de bebê cor-de-rosa dela.
Um pouquinho distante de Niall aproveitei que ele estava distraído e bati uma foto dele e de Leslie, ela já é pequena, nos braços dele ela parece uma miniatura de boneca.



— Estou tão feliz por vocês, a Leslie merece uma família que a ame e eu tenho certeza de que vocês vão cuidar muito bem dela — murmurou Sophie, sorrindo de orelha a orelha. — Ele será um pai e tanto — sussurrou, olhando para Niall e Leslie.



Gente, vamos bater o recorde, precisamos de 19,5 pra bater, assistam fora da conta do youtube e tem que assisti todo e depois recarregar a pág. Go Go Go!!
kkkkkk Divos não?
Perfeitos, maravilhosos, estou sem palavras.
Comentem pra mim, queridas, amo vocês <3



3 comentários:

  1. Perfeita, maravilhosa ... Não existe palavras para descrever essa fanfic....
    Continua
    ~liv

    ResponderExcluir
  2. Steal My Girl eh de maissss e o seu imagine a cada dia fica melhor sem comentariosss! Vc tem um tento nato adro ler suas historias bjssssss posta logooo pfpfp bjss

    ResponderExcluir
  3. Quanto tempooo hahaha ta otimoo continuaaa. cmo sempre os xlips dos meninos divoos *0*

    ResponderExcluir

Sou como uma escritora, lanço o livro para ser comprado;
Vocês são os compradores e os comentários o pagamento u.u
Faço isso de coração e amo, mas preciso do seu comentário <3

Qual a música? "No one in the world could stop me from not moving on, baby. Even if I want to..."

Por: Milinha Malik. Tecnologia do Blogger.

Cupcakes Visitantes ♫♫

♥Books♥

Translate

Talk to me!!

Twitter

♥Cupcakes♥


widget

Instagram

Instagram

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Hello pessoas,
Sei que muitos não lerão isso, não se importaram com isso, não vão querer ao menos ver isso.
Mas não tem problema, isso aqui é pra quem quer ler.
Sou apaixonada por livros, amo escrever e, acima de tudo, amo One Direction, pois foi graças a eles que eu descobri o meu amor pela escrita.
Não espero que gostem das minhas histórias, mas aos que gostam: Obrigada.
Quem quiser entrar em contato é só seguir no Twitter: @miamelo1d

Agenda!