segunda-feira, 13 de outubro de 2014

"Sim você está encantadora
Com seu sorriso tão animado
E com sua face tão meiga
Não há mais nada para mim a não ser amar você
E como você está esta noite..."
- The Way You Look Tonight (Frank Sinatra)



— Tá, tudo bem, acredito em você. E o rapaz, como está o seu garoto?
— Ele está bem também, graças a Deus estamos bem — garanti enquanto brincava com a miniatura de Mustang do Niall.
— Ótimo, ainda bem, vou visitá-la logo, amor, prometo — falou todo preocupado, me fazendo sorrir.
— Sim, vou esperar mesmo — ele riu, aliviado.
— Eu te amo.
— Também te amo, pai.

Desliguei e devolvi o celular para o Harry, me encostei no travesseiro e Niall sorriu, abracei-o e relaxei em seus braços mais uma vez.

|☼|☼|☼|

A sala de instrumentos da gravadora, estava quente e aconchegante, os rapazes me arrastaram para cá bem cedo, a fim de nos distrairmos um pouco, junto conosco também veio a Lea, Becka, Ansel, Tom, Danny, Dougie e Harry Judd, amigos do Niall, da banda McFly.
A neve lá fora caia lentamente, fazendo a temperatura despencar e as ruas ficarem brancas e adoráveis, eu adoro o inverno.
Hoje completa um mês que Niall e eu estamos juntos, o que significa que também faz um mês desde o nosso acidente, ainda tenho pesadelos à noite com aquelas lembranças perturbadoras.
Esvaziei minha mente de todos esses pensamentos bestas, Niall e eu decidimos passar nosso dia com nossos amigos, tem dado certo, os rapazes cantam para nos distrair, enquanto conversamos e comemos bobagem, a sala hoje é toda nossa, ninguém para nos interromper e nem perturbar.
Tom, Danny e Dougie começaram a cantar minha música favorita deles, That Girl, me acomodei ao lado do Niall no sofá de couro e escutei-os atentamente, fazendo a 2ª voz junto com Dougie e Becka, enquanto Tom e Danny tocavam e cantavam.


"But three days latter / Went round to see her / But she was with another guy / And I said fine / But I'll never ask her why / And since the loneliness has been / A friend of mine...''¹ — cantou Zayn, repetindo o trecho depois que os rapazes terminaram de cantar e olhando diretamente para mim, os pelos de minha nuca se eriçaram.


Olhei em volta da sala e Niall sorriu para mim, um sorriso fraco e envergonhado. Estamos todos desconfortáveis com a última frase de Zayn, ou sou só eu e Niall?

— Pega leve, Zayn — avisou Harry. — Já faz um mês.
— É, já faz um mês. — resmungou ele.



Tom começou a tocar alguns acordes no violão, a fim de desfazer o clima tenso que nos rodeava, agradeci mentalmente por ele fazer isso, já que não gosto de saber que Zayn ainda está magoado comigo, ele nem tem o direito de ficar bravo, afinal, foi ele quem terminou comigo.
Niall me apertou mais forte e escutamos atentamente Tom cantando uma parte de Bubble Wrap, também do McFly.
Quando os acordes finais de Bubble Wrap terminaram, Liam tossiu fortemente, chamando a atenção de todos.

— Desculpa, acho que estou ficando doente — disse Liam, ficando levemente corado por toda a atenção.
— Você não pode, temos shows — avisou Harry, de repente alarmado.
— Não se preocupe, Hazza, vou estar bem para os shows — disse Liam, calmo e sorridente.
— Esperamos que sim, não é?! — reforçou Louis.

Niall se levantou em um salto e esticou a mão para mim, segurei-a e me levantei, franzindo a testa para ele.

— O que foi? — murmurei, ainda segurando sua mão.
— Vamos, planejei algo especial para o nosso dia, ou noite — respondeu Niall, sorridente, ele está evidentemente empolgado.
— Mas pensei que passaríamos o dia com nossos amigos — falei, surpresa por ele ter planejado algo.
— Passamos o dia com eles, agora podemos curtir nosso aniversário, vamos lá, amor, se não vamos nos atrasar — chamou docemente, me puxando em direção à porta.
— Divirtam-se — gritou Harry, quando eu segui Niall em direção à porta de saída.

Niall não me soltou, entramos no elevador e, se não fosse por um homem de terno cinza, estaríamos sozinhos.
Enquanto esperávamos nosso andar eu envolvi meus braços em volta da cintura de Niall, o abraçando, ainda não acredito que ele planejou algo para o nosso primeiro mês de aniversário.
Ele suspirou me apertando mais forte em seus braços e beijou minha testa, demorando os lábios por longos segundos em minha pele.

— Estou surpresa — sussurrei baixinho, só para ele escutar.
— Surpresa? É nosso aniversário, amor, não deixaria passar em branco, fala sério, temos que comemorar — murmurou sorridente.
— Você não existe — sussurrei, tenho certeza de que estava olhando para ele igual uma boba.
— Eu te amo, entendeu? — sussurrou, tentando colocar em minha cabeça o motivo pelo qual ele planejou algo.
— Eu te amo também, nunca duvide disso — respondi, roçando meu nariz no dele levemente.

Niall me beijou rapidamente, por causa do homem ao nosso lado, e continuamos abraçados até o elevador abrir as portas no estacionamento, o homem saiu primeiro e logo Niall me soltou para segurar minha mão e me guiar até seu carro novo.
Eu gostei do carro novo do Niall, é simples e bonito, nada muito extravagante, ele me levou junto com ele para escolher, não dei muita opinião, afinal, o carro é dele, mas ele escolheu algo que agradou a nós dois.
Se bem que um Vauxhall Astra VXR não é tão simples assim, mas, comparado a Ferrari do Harry, esse carro é mais econômico.
Niall pressionou o botão do alarme e as lanternas traseiras do Astra se acenderam, ele abriu a porta do passageiro para mim — cavalheiro, como sempre —, em seguida deu a volta por trás do carro e se sentou ao meu lado, atrás do volante.
Ele ligou o carro, engatou a marcha ré e saiu do estacionamento, entrando na rua movimentada e coberta de uma neve branca e espessa.
Me virei para olhá-lo enquanto ele dirigia, a maioria das vezes ele fica bem concentrado, é tão lindo ver seus olhos fixos no trânsito, seu rosto bem modelado cora levemente sempre que me pega encarando-o, então ele sorri e estica o braço para me cutucar a barriga, me fazendo rir.

— Vai me dizer o que planejou? — perguntei docemente, na intenção de persuadi-lo a me contar seus planos.
— Talvez, depende... — murmurou, deixando a frase inacabada.
— Depende? — incentivei-o a continuar, ele riu.
— Depende do quanto você está curiosa — disse em um tom brincalhão.
— Estou muito, muito curiosa, pode me contar? — perguntei novamente, ele riu, mas não desviou os olhos da estrada.
— Vamos jantar e... — ele parou de falar novamente, me deixando no suspense.
— E? E o quê? — cobrei, agoniada com a curiosidade que ele despertou em mim.
— E você vai ver, é só isso o que vou te dizer.
— Não! Niall, conte-me, por favor — pedi docemente, ele riu, mas negou com a cabeça.
— Aguarde, amor, e verá — disse e ligou o rádio, então percebi que esse assunto estava encerrado, me dei por vencida e me recostei contra o banco, fazendo um bico exagerado, ele riu.

Niall dirigiu quieto o tempo inteiro, quebrando o silêncio apenas quando cantava junto com o rádio, eu tentei me controlar para não questioná-lo mais sobre o jantar, afinal, ele não vai me falar mesmo.
Ele parou o carro em frente ao portão de entrada da casa do Harry, pensei que ele entraria com o carro, mas ele saiu do carro e correu até a minha porta para abri-la para mim, já até me acostumei com seu cavalheirismo, ele é um fofo.
Niall estendeu a mão para mim, segurei-a e ele me ajudou a sair, sem soltar minha mão ele me guiou até o portão, digitou o código de segurança e apertou o alarme do carro, trancando-o na hora, então ele me puxou para dentro e andamos pelo longo gramado até a porta de entrada da casa do Harry.
Passamos direto pelo corredor até a escadaria, Niall parou em frente a porta do meu quarto e me deu um selinho demorado, em seguida sorriu.

— Vou me arrumar, 20 minutos? — perguntou, se referindo ao tempo em que eu estaria pronta.
— Sim, 20 minutos está bom.
— Ótimo, estarei lá embaixo te esperando.
— Okay — murmurei e dei de ombros, ele sorriu carinhosamente e acariciou minha bochecha com a ponta dos dedos.
— Não fique chateada, você vai descobrir logo, prometo.
— Odeio quando você não me diz para onde vamos, vou abrir uma exceção, mas só desta vez — ele riu e assentiu.
— Tudo bem, só desta vez — ele se inclinou e me beijou mais uma vez, em seguida foi para seu quarto.

Entrei no meu quarto e fui direto ao meu guarda-roupas, deixei tudo o que iria precisar em cima da minha cama e segui para o banheiro, tomei um banho quente e relativamente rápido, em seguida me arrumei rapidinho, mas caprichei.
Em 23 minutos eu já estava pronta, assim que abri a porta do meu quarto encontrei Niall no corredor, ele estava indo em direção às escadas e parou subitamente quando me viu, sorri timidamente enquanto ele me encarava de cima a baixo, abrindo um largo sorriso durante o trajeto de seus olhos.

— Caramba, amor, uau! — exclamou sorridente.
— Obrigada... Ah... Acho — murmurei timidamente, ele riu e estendeu a mão para mim.
— Você está incrível, ah, minha linda — disse, quando eu peguei sua mão e ele me fez dar uma voltinha. — Vamos lá, eu gosto de ver os caras quebrarem o pescoço quando eu passo com você — brincou, enquanto envolvia minha cintura com o braço e apertava meu corpo contra o seu.
— Gosto de você não ser ciumento — murmurei, enquanto ele me guiava escada a baixo.
— Ah, mas eu sou ciumento, tá brincando? Só não demonstro na sua frente, mas quando você vira as costas eu ameaço cada idiota que olha para você — falou brincalhão, ele está com um ótimo humor, não contive uma risada.
— Bobo — falei rindo, ele riu também.

Niall me guiou por todo o caminho até o carro sem tirar as mãos de mim, não reclamei, afinal, tudo o que eu mais gosto é de estar em seus braços, quando ele se sentou ao meu lado, atrás do volante, eu terminei de prender meu cinto de segurança e ele ligou o carro.
Tentei puxar assunto, a fim de fazê-lo falar pelo menos aonde vamos jantar, mas não consegui. Quando dei por mim ele já estava parando o carro e o manobrista do restaurante Clos Maggiore se aproximou.
Niall saiu do carro e jogou as chaves para o manobrista, então correu até o meu lado e abriu a porta para mim, me oferecendo a mão.
Niall me guiou para dentro do restaurante, antes mesmo de alcançarmos o balcão de informações o garçom nos alcançou e nos mostrou a mesa que Niall havia reservado.
Ele nos guiou por entre as lindas mesas decoradas no imenso salão, esse restaurante é tão romântico.
Era uma mesa separada das demais, bem íntima, Niall puxou a cadeira para mim, agradeci e me sentei, logo ele se sentou em minha frente e segurou minha mão por cima da mesa.

— Amor, que lindo, esse restaurante é perfeito — murmurei, esticando meu braço para acariciar seu rosto, ele sorriu e inclinou o rosto contra minha mão.
— Ah, Vee, foi o único lugar em que pensei, aqui é lindo, romântico, mas mesmo assim não é o bastante, vou te levar a outro lugar quando terminamos o jantar — falou calmamente, mas não disse mais nada, apenas ficou me encarando, com um olhar sedutor e brincalhão.
— Você gosta de me deixar curiosa, só pode — murmurei irritada e ele riu.
— Só um pouquinho, querida.

Niall esboçou um sorriso tão doce que me fez derreter completamente, apertei sua mão e retribui seu sorriso.
O garçom se aproximou e sorriu educadamente, Niall o cumprimentou e ele nos entregou os cardápios e nos serviu água enquanto não decidimos os pedidos.
O garçom se retirou, deixando Niall e eu à sós.

|☼|☼|☼|

Depois de um jantar extremamente romântico, Niall me levou a London Eye, onde tomamos champagne enquanto apreciávamos a linda vista de Londres, foi simplesmente incrível.
Ao sairmos da cabine Niall me guiou pela beirada do rio Tamisa, onde apreciamos a vista e conversamos bastante, mas quando alcançamos o estacionamento do Clos Maggiore novamente, Niall se imobilizou, ficando paralisado no meio da calçada, me virei para ele e franzi a testa, tentando identificar o que a expressão iluminada dele queria dizer, por fim ele sorriu de orelha a orelha.

— O que foi? — perguntei, quando vi que ele não diria.
— Será se o orfanato ainda está aberto? — perguntou animado.

No último mês Niall e eu passamos todos os dias no orfanato, fazendo trabalho voluntário e, obviamente, cuidando de Leslie, ela foi essencial para a melhora de Niall depois do acidente; ela cresceu um pouco desde que eu a conheci, agora ela está com 2 meses e meio, e é uma verdadeira princesinha.

— Passa das dez, acho que não, por quê? — perguntei intrigada, ele sorriu novamente e me puxou em direção ao manobrista, que estava segurando as chaves do carro de Niall.
— Obrigado — disse Niall ao manobrista, ele lhe deu uma gorjeta obscenamente alta e abriu a porta para que eu pudesse entrar.
— Quer me dizer em que você pensou? — perguntei quando ele se acomodou ao meu lado.
— Eu realmente quero adotar a Les, preciso implorar de joelhos para a Sra. Jones liberar a papelada, eu sei que ela vai ajudar, ela gosta muito de mim e de você — explicou e me olhou, seus olhos brilharam de animação.
— Vamos adotar a Leslie? — perguntei surpresa.
— Se tudo der certo, sim! O que acha?
— Sim, é, isso com certeza é ótimo, mas não tenho certeza se vai dar certo, afinal, não somos casados, o orfanato cobra isso para a adoção.
— Vamos lá agora! — disse simplesmente, não discordei, afinal, também quero adotar a Les, é tudo o que eu mais quero desde que a conheci.

Niall seguiu pelas ruas numa velocidade regular, ele não dirige muito rápido e sempre que se empolga eu o repreendo, cuidado nunca é demais.
Ele estacionou o carro duas quadras antes da casa de Harry, bem em frente ao orfanato Sunshine Kids, sai do carro antes que ele viesse abrir a porta para mim.
Subimos a pequena escadaria até a porta da frente, Niall bateu algumas vezes, acho que estão todos dormindo, já é tarde, mas Niall não desistiu, bateu mais umas quatro vezes e Sophie abriu a porta, foi ela quem me apresentou ao orfanato na primeira vez em que estive aqui.
Sophie esboçou um sorriso educado e nos cumprimentou, ela já estava vestida com um robe de dormir, como eu imaginei, ela já estava indo se deitar.

— Oi, Sophie — disse Niall, ansioso. — Desculpe a hora inoportuna, mas não podemos esperar até amanhã, a Sra. Jones ainda está aqui?
— Sim, está no escritório, por favor me acompanhem — pediu docemente e a seguimos pelos corredores do orfanato.

Ela abriu uma porta de madeira e colocou a cabeça para dentro, ela murmurou algo para a diretora do orfanato e se voltou para nós, sorriu e nos deu espaço para entrar, ela entrou junto conosco e ficou ao lado da cadeira onde a diretora, Sra. Jones, estava sentada.

— Olá May — cumprimentou Niall, esticando a mão para a Sra. Jones.
— Ora, ora, Niall, que surpresa, está tudo bem? — perguntou docemente, ela é muito simpática.
— Sim, quer dizer... Claro, é que nós decidimos, Vee e eu — disse e abraçou minha cintura, me puxando para seu lado —, que queremos adotar a Leslie, por favor, May, por favor nos ajude.



                                                                                         

¹- Tradução do trecho: "Mas 3 dias depois / Saí para vê-la / Mas ela estava com outro cara / E eu disse 'certo' / Mas nunca perguntei a ela 'por quê' / E desde então a solidão tem sido / Uma amiga minha...".


Hey girls, como estão?
Eu estou nas nuvens, quem aqui foi assistir o filme da 1D no fim de semana?
Eu fui e, como amo muito vocês, lembrei-me que algumas ñ poderiam ir assistir, então decidi gravar algumas músicas para deixar um gostinho de quero mais kkkkk
Preparadas? Aí vão os vídeos de Through the Dark e Little Things, espero que gostem.
Posto BSE e WMYB no próximo post, okay?
 Me perdoem os gritos, a minha voz horrível e a voz da minha amiga (que conheci lá) sjashuahsauhsauhsuah
Foi uma loucura, no fim do filme todas as directioners saíram gritando da sala, metade do shopping parou só para ver o que estava acontecendo, foi ensurdecedor kkkkkkk
Amo vocês e comentem, pleaseee <3



4 comentários:

  1. Continuaaaaaaaaaaaaaaa ta perfeito ! E infelizmente eu não fui ver o filme porque aonde eu moro é uma cidade pequena e aqui perto também então não teve como eu assistir ao filme...Ah a sua fanfic tá perfeita então não faz eu ficar curiosa esperando o proximo capítulo então posta mais flor ! :-D
    xoxo Mariane <3

    ResponderExcluir
  2. Meu deus quanta perfeição
    Cada palavra que eu leio parece que eu me apaixonou mais pela sua fanfic
    Eu não fui ver o filme pq meu final de semana tava lotado, mas acho que foi perfeito
    ~liv

    ResponderExcluir
  3. Eu queria saber se você poderia divulgar meu blog na sua próxima postagem, eu criei ele a pouco tempo, pode fazer esse favor? Obrigado! http://imagines-4-directioners.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. Eu viii o filmeeeee eh de maisssss chorei igual a um nenem hahahahahahhahaha AMEIII O CAPITULO CONTINUA LOGO BJSSSSSS

    ResponderExcluir

Sou como uma escritora, lanço o livro para ser comprado;
Vocês são os compradores e os comentários o pagamento u.u
Faço isso de coração e amo, mas preciso do seu comentário <3

Qual a música? "No one in the world could stop me from not moving on, baby. Even if I want to..."

Por: Milinha Malik. Tecnologia do Blogger.

Cupcakes Visitantes ♫♫

♥Books♥

Translate

Talk to me!!

Twitter

♥Cupcakes♥


widget

Instagram

Instagram

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Hello pessoas,
Sei que muitos não lerão isso, não se importaram com isso, não vão querer ao menos ver isso.
Mas não tem problema, isso aqui é pra quem quer ler.
Sou apaixonada por livros, amo escrever e, acima de tudo, amo One Direction, pois foi graças a eles que eu descobri o meu amor pela escrita.
Não espero que gostem das minhas histórias, mas aos que gostam: Obrigada.
Quem quiser entrar em contato é só seguir no Twitter: @miamelo1d

Agenda!