sexta-feira, 10 de outubro de 2014

"Eu acredito no seu amor
Eu respiro o seu amor
Tal como o ar da manhã
Eu durmo com o seu amor
Eu saúdo o seu amor
E eu não posso fugir..."
- Baby When The Light (David Guetta)


— Oi — murmurou doce e sereno.
— Oi — repeti preguiçosamente.
— Deita comigo? — pediu carinhosamente, me fazendo derreter novamente.
— Acho que não posso — sussurrei e ele sorriu.
— Claro que pode, Harry, ajude aqui — pediu Niall e Harry se aproximou.
— O que quer, Nialler?
— Ajude a Vee a se deitar comigo, por favor — falou se afastando da ponta da cama, ele fez uma careta de dor, mas sorriu me tranquilizando.
— Seu pedido é uma ordem, cara.

Harry riu e me pegou no colo, delicado como sempre, lhe dei um beijo na bochecha antes que ele me colocasse deitada na cama, ao lado de Niall.
Vi Harry voltar para o sofá no canto, onde os rapazes estavam conversando baixinho com Gem, de vez em quando algum deles olhava em nossa direção, como se para constatar que estávamos nos comportando.
Niall passou um dos seu braços pelo meu ombro e com a mão livre ele segurou a minha mão, olhei para ele, sentindo um amor enorme por esse rapaz, me lembrando do pouco que sei de nossa infância.


— No que está pensando? — sussurrou, seus olhos ainda nos meus, sua mão brincando com a minha, seu calor me aquecendo no fim desse outono frio.
— Em você, em mim, em nós... — murmurei e inclinei a cabeça, encostando meu nariz no seu, ele sorriu. — É um alívio imenso estar aqui com você depois do acidente.
— Eu acordei várias vezes desde aquele dia, mas não conseguia abrir meus olhos, eu só conseguia ouvir, eu ouvia tudo atentamente, tentando ouvir algo sobre você, mas ninguém falava sobre isso, fiquei aterrorizado, achei que você tinha... — sua voz morreu lentamente, seus olhos brilharam tristemente e eu fechei meus olhos, absorvendo esse momento.
— Antes da ambulância chegar, eu te vi no chão, um pouco distante dos destroços do carro, fiquei desesperada, não sabia o que fazer, nem o que pensar, eu só fiquei ali com você, chorando e orando, pedindo para que você ficasse bem, eu fiquei... Desesperada, desolada, despedaçada, foi como ver meu mundo ali no chão, fiquei com tanto medo, com tanto, tanto medo — confessei, nem ao menos senti as lágrimas escorregando, mas elas estavam molhando todo o meu rosto.
— Também fiquei com muito medo, não aguentaria te perder mais uma vez, eu sou seu e não quero, jamais, te deixar fugir de mim novamente, eu te amo Vee Grey, eu te amo demais — sussurrou, completamente ausente de todas as pessoas no quarto, eu também não estou preocupada com eles.
— Eu também te amo, Niall, te amo mais do que eu poderia imaginar amar alguém, e te peço que não me deixe fugir, por favor, estarei fora de mim se tentar — sussurrei em resposta.

Niall respirou fundo, absorvendo minhas palavras, então me puxou para mais perto e me beijou, depois de tanta preocupação seus lábios são um bálsamo para mim, me resgatando de toda essa confusão e angústia.


Fechei meus olhos e continuei ali, bem pertinho dele, sentindo seu corpo, seu cheiro, seu calor; não quero me afastar tão cedo, não depois de tudo o que aconteceu.
O sono estava me dominando, os braços de Niall estavam tão aconchegantes, vi vagamente o pessoal se despedir de Niall, que ainda estava acordado, e deixar o quarto em seguida, só Greg ficou, a fim de tomar conta de nós dois.
Senti Harry me dar um beijo na testa e se afastar, Niall me apertou um pouco mais forte, despertando a dor no corpo, que agora me é tão familiar, apenas ignorei e voltei a adormecer lentamente.

|☼|☼|☼|

Escutei vozes conhecidas, mas senti muita preguiça para abrir os olhos, então continuei escutando, são Niall e Greg conversando, suas vozes são tão parecidas.

— E o Théo? Está melhor? — perguntou Niall, seus braços ainda estavam em volta de mim, me aquecendo e protegendo.
— É, sim, está bem melhor, o médico passou alguns antibióticos e ele está melhorando, nada com que se preocupar — respondeu o Greg.
— Ótimo, quero ver ele.
— Posso trazê-lo aqui, se quiser — ofereceu Greg.
— Sim, é, por favor, sinto falta dele, da Leslie também, faz tempo que não a vejo — murmurou Niall, distraído.
— Quer que eu passe no orfanato? Posso ver como ela está e tentar trazê-la aqui, a diretora faz tudo o que você quer mesmo, acho que não vai ser difícil.
— Você pode tentar, eu acho que ela deixaria mesmo.
— Então eu trago o Théo hoje a tarde e amanhã tento trazer a Leslie.
— Ótimo, obrigado irmão.
— Cheguei!! — cantarolou Harry, sua voz é inconfundível.
— Já estava na hora, trouxe? — perguntou Niall, ansioso.
— É claro que sim, seu pedido é um ordem, meu chapa. Aproveite enquanto pode — provocou Harry.

Escutei passos, então minha curiosidade foi mais forte que a preguiça e eu abri meus olhos lentamente, tendo como vista os lindos olhos de Niall, ele estava analisando algo pequeno em sua mão.
Ele me viu abrir os olhos e sorriu para mim, ele beijou a ponta do meu nariz, me fazendo sorrir, e colocou o objeto na minha frente, para que eu pudesse ver a versão em miniatura do carro que eu tanto almejava em sua coleção de clássicos.
Um lindo Shelby Mustang GT350 - 1966, eu realmente sou apaixonada por esse carro.

— Nosso carro chegou — falou animado, não contive um sorriso, meninos e seus brinquedos¹.
— Nosso carro chegou — repeti sorridente, ele riu.
— Ainda vou comprar um carro desse para nós dois, vai ser nosso primeiro carro, como você queria.
— Nós não deveríamos estar traumatizados com esse lance de carro? — perguntei dramaticamente e ele riu.
— Não, aquilo foi um acidente, não teve nada haver com o carro.
— Concordo, então, como vai encontrar esse carro? 
— Eu não sei, vou ter que procurar bastante — murmurou pensativo.
— Vai mesmo — concordei, admirando-o enquanto ele pensava.
— Ah, mudando de assunto, Greg tirou uma foto nossa — falou acusadoramente e apontou para Greg, que riu e deu de ombros. — Mostre a ela, agora! — ordenou Niall.
— Tudo bem, você quem manda.

Greg se aproximou com um celular na mão. Tudo bem, ele tirou uma foto, mas ele postou a foto no instagram, mas que merda! Tem muitos comentários e muitas curtidas. Foquei na legenda que ele colocou:

"Que sufoco, mas não tem nada melhor que dormir ao lado de quem ama para ficar tudo bem. Eles estão bem agora, graças a Deus!"



Um pequeno sorriso brotou em meus lábios, ele me abraçou durante toda a noite, e ele disse que me ama, sim, ele me ama, eu também o amo, muito mesmo.

— Eu acho que o hospital tem que começar a produzir macas de casal, sabe, só para o caso de vocês virem parar aqui novamente, esperamos que isso não aconteça, não é? — brincou Harry.
— Claro, Harry — concordou Niall, rindo.

Tentei me levantar lentamente, meu corpo reclamou, mas consegui me sentar, Niall franziu a testa e acariciou minhas costas, senti um arrepio percorrer todo o meu corpo.

— Quer ajuda? — perguntou Greg.
— Só para descer — pedi e ele se aproximou.

Greg estendeu a mão para mim e eu a segurei, ele segurou em minha cintura e me ajudou a levantar, minhas costelas ainda protestando, ele me deu apoio até a porta do banheiro e me deixou sozinha.
Demorei alguns longos minutos no banheiro, em parte por não poder me mexer direito, e outra por estar fazendo minhas higienes matinais.
Por fim, lavei meu rosto, me sequei com uma toalhinha que havia ali e voltei para o quarto, Harry me alcançou assim que eu abri a porta e me ajudou a voltar para a cama.

— Tudo bem? — perguntou Niall, quando me sentei novamente ao seu lado.
— Sim, bem melhor que ontem — sorri tranquilizando-o e ele assentiu.
— É, eu também.
— Que bom — disse e o selei rapidamente.

Harry se sentou na ponta da maca e cruzou as pernas, olhou para nós dois e sorriu à lá Cupcake.
Greg se levantou, sacudiu as roupas e anunciou:

— Vou em casa, mais tarde trago o Théo.
— Tá bom, sem pressa, apenas estou ansiando ver meu sobrinho — brincou Niall.

Greg acenou e foi embora sorridente.
Harry suspirou e se deitou, apoiando a cabeça em minhas pernas, Niall bufou e riu, enquanto eu acariciei os cabelos do Harry.

— Quando vamos sair daqui? — resmungou Niall.
— Cara, você acabou de acordar, ainda não pode nem se mexer direito e já quer sair? Relaxa um pouco — disse Harry.
— Mas tem alguma previsão de quando vamos receber alta? — perguntei.
— Uma semana, no máximo.
— Mas é muito tempo — resmungou Niall.
— Eu sei — falamos Harry e eu juntos.
— Preciso ligar para o papai — murmurei e Harry estendeu o celular para mim. — Obrigada.

Disquei o número da casa do meu pai, chamou três vezes até a Anne atender, ela suspirou aliviada quando escutou minha voz.

— Querida, que bom que está bem, como se sente?
— Bem, mãe, obrigada — ela ficou um tempo muda, chamá-la de mãe ainda é novo para nós duas, mas eu pude imaginar seu sorriso. — Posso falar com meu pai?
— Claro, ele está aqui ao meu lado, se cuide, vou passar para ele.
— Obrigada.
— Meu amor, como está? — perguntou papai.
— Estou bem e o senhor?
— Muito mais aliviado agora, desculpe não poder ter esperado você acordar.
— Não, pai, não tem problema, fiquei feliz de você ter vindo.
— Fiquei com o coração apertado de te deixar nesse estado, fiquei tão preocupado.
— Estou bem agora, papai, não se preocupe mais.
— Me diga a verdade, como você está?
— Estou bem, por favor acredite, estou muito bem, um pouco dolorida, mas vai passar.
— Tá, tudo bem, acredito em você. E o rapaz, como está seu garoto?


                                              

¹- "Meninos e seus brinquedos": Leio muito essa frase em 50 tons de cinza, da E. L. James, mas muitas aqui podem nunca ter lido, pois é recomendando para maiores de idade, mas sou vida louca e leio mesmo assim kkkkk




Hey girls, tudo bem?
Quero avisar que estou finalizando a fic Does He Know?
com o nosso Tommo.
Estou ansiosa para vocês lerem ela, kkkkk
Comentem, pleaseeeee.
Amo vcs <3


4 comentários:

  1. Omg quanta perfeição... Continua porfavor
    ~liv

    ResponderExcluir
  2. Aaaaaaaa eu ameiiii! Aneii tb a ultima frase como esta l garoto, o SEU GAROTO <3 ameiiiiiiiiiii continual logoo

    ResponderExcluir

Sou como uma escritora, lanço o livro para ser comprado;
Vocês são os compradores e os comentários o pagamento u.u
Faço isso de coração e amo, mas preciso do seu comentário <3

Qual a música? "No one in the world could stop me from not moving on, baby. Even if I want to..."

Por: Milinha Malik. Tecnologia do Blogger.

Cupcakes Visitantes ♫♫

♥Books♥

Translate

Talk to me!!

Twitter

♥Cupcakes♥


widget

Instagram

Instagram

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Hello pessoas,
Sei que muitos não lerão isso, não se importaram com isso, não vão querer ao menos ver isso.
Mas não tem problema, isso aqui é pra quem quer ler.
Sou apaixonada por livros, amo escrever e, acima de tudo, amo One Direction, pois foi graças a eles que eu descobri o meu amor pela escrita.
Não espero que gostem das minhas histórias, mas aos que gostam: Obrigada.
Quem quiser entrar em contato é só seguir no Twitter: @miamelo1d

Agenda!