sexta-feira, 28 de abril de 2017

"Eu acho que quero me casar com você
Eu vou te arranjar um anel
Deixe os sinos do coro cantarem 'oooh'
Então, o que você vai fazer?"
– Marry You (Bruno Mars)



Tomei café com Harry e disse a ele que não estava me sentindo disposta para ir à gravadora hoje, ele ficou todo preocupado, se oferendo para me levar ao médico ou para me fazer companhia, mas recusei os dois, pois o que está me deixando mal não pode ser curado com uma visita ao médico, culpa não se cura com remédios.
Levei Harry até a garagem para me despedir dele.

– Amor, pode ir té o meu quarto e assistir Full House, quando eu chegar vou lhe fazer companhia – ele disse docemente, sorri e o abracei, ele é tão adorável, que monstra eu sou!

Voltando para dentro de casa eu passei na cozinha para avisar Diane que estaria no quarto de Harry se ela precisasse de mim e subi direito para o quarto dele, liguei a tv e caí no meio dos muitos travesseiros de Harry, a cama dele é gigante.
Assisti três temporadas seguidas de Full House, foi como estar no paraíso, me senti relaxada e feliz. E Diana foi um amor ao me trazer o almoço e o chá da tarde, apesar de eu reclamar e dizer que iria descer até a cozinha, ela brigou e disse que recebeu ordens de Harry para não me deixar sair da cama até que eu me sentisse melhor, me senti pior ainda.
Quando Harry chegou à noite, ele veio direto ao quarto e trouxe o jantar para comermos juntos, ele me contou sobre o dia dele e como os rapazes sentiram a minha falta, apesar de só termos nos conhecido há um dia.
Esperei que ele terminasse de comer, quando ambos colocamos a bandeja de lado eu desliguei a tv e me sentei de frente para o Harry, ele ficou sério ao perceber que eu também estava. Seus olhos foram direto até o meu dedo com o imenso anel de Liam. Harry suspirou e murchou bem na minha frente, meu coração ficou apertado e eu me odiei muito por fazê-lo sofrer.

– É, parece que o Liam já te deu o anel, não é? – ele disse e eu arqueei uma sobrancelha confusa, ele esboçou um sorriso tristonho. 
– Você sabia sobre o anel? – perguntei, ele assentiu e abaixou a cabeça, olhando para as próprias mãos, estiquei os dedos e segurei suas mãos, entrelaçando nossos dedos, ele levantou o rosto para me olhar nos olhos. 
– Eu o encontrei ontem com esse anel, ele estava no quarto sozinho, Cheryl estava no banho, entrei sem bater e o peguei olhando para o anel. Eu soube na hora que não era para Cheryl, fala sério, o anel que Liam deu a ela é deprimente, é pequeno e simples, não tem nada haver com esse – ele virou minha mão para poder ver o anel em meu dedo. – É muito lindo, meus parabéns! – ele falou sem o mínimo resquício de felicidade, mas soou sincero. 
– Harry, eu sinto tanto... 
– Não, eu sabia que isso ia acontecer cedo ou tarde, eu sempre soube que vocês voltariam, Tess, eu só estava gostando demais de ficar com você para admitir para mim mesmo que não seria para sempre – ele disse, sua voz com um tom tão triste que lágrimas brotaram em meus olhos. – Mas eu amo você, Tess, de verdade. Só quero que saiba que eu sempre estarei aqui para você, sempre que precisar de um ombro amigo, sempre que quiser companhia para assistir séries dos anos 80. Sempre.
– Eu amo você demais, Harry – choraminguei me jogando em seus braços, ele me abraçou e mergulhou o rosto em meu pescoço, enquanto eu chorava deselegantemente em sua linda camisa de linho branco. 
– Você vai ser muito feliz com ele, Tess. Não se preocupe comigo, vou saber lidar com a situação, nós ainda somos amigos, afinal. 
– Sim, somos. Você é o melhor, Harry, eu queria poder mudar tudo e ficar com você, mas há historia demais entre o Liam e eu. 
– Eu sei, linda. Vocês foram feitos um para o outro – ele disse e fez uma careta, me fazendo rir.

Harry me puxou e nós nos deitados agarrados na cama, ele ligou a tv de novo e colocou Full House novamente para a gente assistir, respirei fundo para sentir o seu perfume e fechei os olhos, aproveitando o momento e o abraço de Harry.
Liam e Cheryl chegaram uma hora depois, Harry e eu ouvimos os passos deles na escada, então nós nos levantamos e saímos do quarto, Harry bateu na porta do quarto deles e Liam a abriu. Ele sorriu para a gente e rapidamente seus olhos desceram até a minha mão, virei-a sutilmente para que ele visse o anel e o sorriso dele ficou maior ainda.

– Já jantaram, irmão? – perguntou Harry. 
– Já sim, mas podemos descer e tomar um pouco de vinho, o que acham? – propôs Liam, Harry e eu concordamos. – Ótimo, vou tomar um banho e já encontro vocês lá embaixo – ele disse e nós assentimos.

Harry e eu descemos, a casa estava silenciosa, Diana já havia ido embora, nós fomos até a cozinha e Harry pegou uma garrafa de vinho da geladeira enquanto eu peguei quatro taças de vinho, caso Cheryl venha também, o que não me anima muito.
Nos sentamos lado a lado e Harry encheu duas taças, dei um grande gole e suspirei, o vinho era delicioso, Harry tem um ótimo gosto para vinhos.

– Recebi uma ligação do meu assessor hoje – disse Harry.
– Ah, é? E aí? 
– A estreia do filme em Londres é semana que vem, ele quer que eu viaje para lá daqui a cinco dias – ele disse e bebeu seu vinho, assenti lentamente com a cabeça. 
– Hum. Eu vou com você, não é? – perguntei, ele sorriu. – Estou com saudades de Zayn, de Rik, da Domi, até mesmo de Cam. 
– Eu tenho medo de você ir e não querer mais voltar, vai me abandonar aqui – ele falou e fez um biquinho fofo.
– Eu não vou te prometer que vou voltar, eu tenho que ver como está tudo lá, se Zayn já está mais livre pra mim, mas há uma grande chance de eu voltar pra cá – falei e ele sorriu.
– Melhor assim, até porque a sua banda está aqui e nós precisamos trabalhar muito – ele lembrou e eu assenti.

Liam chegou sozinho quando já estávamos na metade da garrafa, ele sentou-se de frente para nós e Harry encheu uma taça para ele e completou as nossas.

– Eu quero propor um brinde – disse Harry erguendo a taça dele, Liam e eu o imitamos. – Um brinde ao noivado de vocês, quero que sejam muito felizes juntos e, por favor, me dêem sobrinhos, quero ser padrinho de ao menos um filho de vocês!  – brincou Harry e eu ri, mas Liam estava surpreso demais para rir também. Nós brindamos e eu bebi um grande gole, só depois de beber foi que Liam se recuperou. 
– Como você soube? – ele perguntou ao Harry. 
– Eu vi você com a aliança ontem, logo soube que era para Tess, não precisava ser um gênio, afinal a aliança de Cheryl é depressiva – nós rimos e Liam deu de ombros.
– Não achei que valia a pena gastar muito, eu sempre soube que não duraria o nosso relacionamento, mas foi muito divertido ver a cara de decepção quando ela viu a aliança, tive que prometer lhe dar uma melhor, estou devendo até hoje.
– E quando você vai acabar com esse relacionamento? – perguntou Harry, eu fiquei quietinha, apenas bebericando o meu vinho e olhando para eles por sobre a minha taça.
– Logo. Estou preparando o terreno, ela está enlouquecendo porque estou sendo frio e distante, mas talvez eu faça isso na semana que vem, quando voltarmos a Londres. Pelo menos ela estará em casa e não hospedada na casa de um amigo meu.
– Tem razão, é melhor aguardar um pouco mesmo – concordou Harry e eu balancei a casa um pouco desanimada.
– Até lá, faça o favor de mantê-la longe de casa quando estivermos aqui – pedi baixinho, os rapazes riram e Liam assentiu.
– Pode deixar, amor. Farei isso.

Terminamos a garrafa de vinho e Harry de despediu, deixando Liam e eu a sós. Assim que ouvimos os passos de Harry se distanciarem, Liam afastou a cadeira e eu pulei da minha para me aconchegar em seu colo, ele me abraçou apertado e me beijou, amoleci em seus braços, completamente entregue a ele e morrendo de saudade.

– Desculpe, eu queria ter estado lá quando você acordou, queria ter feito o pedido direito – ele sussurrou, eu o calei com beijos.
– Não se preocupe, foi lindo receber o bilhete, apesar de toda essa bagunça eu achei bem romântico – nos rimos e ele balançou a cabeça, sem entender. – Eu entendo que ambos estávamos enrolados, não era o melhor momento, mas acabou se tornando perfeito porque isso nos deu segurança, amor.
– É verdade. Eu amo você, Tess Blane, ouso dizer que a amo mais até que a mim mesmo. Você é uma coisa terrivelmente inebriante que invade a minha cabeça, o meu corpo, o meu coração e eu não sei viver sem você – ele disse, seus olhos fixos nos meus, meu coração transbordou de amor por aquele homem. 

Ele se levantou me fazendo levantar junto com ele, para então se ajoelhar a minha frente segurando a minha mão em que o anel estava, ele retirou o anel com delicadeza, o beijou e meus olhos lacrimejaram. Liam respirou fundo e segurou o anel na ponta do meu dedo, ergueu a cabeça e me olhou bem nos olhos.

– Scar, você é a melhor coisa que aconteceu em minha vida, sei que é clichê e previsível dizer isso, mas é a verdade. Algumas vezes, por tantas pessoas sentirem o mesmo que eu sinto agora, acaba se tornando clichê um sentimento que na verdade é tão puro e bonito. Portanto, cheguei a conclusão que ser clichê é uma coisa boa e eu sei que você gosta, então eu quero ser clichê ao seu lado pelo resto da vida, quero acordá-la com beijos, nina-la em meus braços, quero fazê-la se sentir a mulher mais amada da face da Terra. Aceita se casar comigo, Tess?
– Sim, sim, meu amor, eu aceito! – murmurei em êxtase, ele deslizou a aliança pelo meu dedo e se levantou com um salto, me tomando em seus braços e me beijando apaixonadamente. Eu só conseguia sentir alegria naquele momento, juro que até podia ouvir uma música romântica ao fundo, como nos filmes de comédia romântica.
– Você e eu nunca mais vamos nos separar. Me prometa isso, Scar, por favor – ele pediu, seus braços ao meu redor, me apertando com força.
– Eu prometo, Liam. Não quero mesmo deixar você partir de novo – sussurrei e acariciei seu lindo rosto, ele sorriu e beijou a palma da minha mão.
– Meus pais ficarão loucos de felicidade quando descobrirem que me casarei com você ao invés de Cheryl – ele sussurrou, olhando em volta de forma sapeca, para garantir que ninguém se aproximava.
– Ela não é tão ruim assim – murmurei meio descrente, ele riu.
– Não, não é. Ela é uma boa pessoa, mas é talentosa demais e isso afeta muito o seu ego.
– É verdade. Mas agora, eu acho melhor você subir, antes que ela venha atrás de você e nos encontre assim, agarradinhos – falei, ele assentiu e me beijou mais uma vez.
– Tudo bem, vamos lá.

Subimos juntos e nos separamos quando chegamos ao meu quarto, entrei e caí na cama como se tivesse caído em uma nuvem macia e fofinha, eu estava no sétimo céu. Ergui meu dedo e admirei a aliança posta nele, é tão bonito.
Virei de lado na cama e suspirei, estou definitivamente sonhando, já consigo até imaginar ele no altar, me esperando, vestido em um terno branco, todo lindo.
O meu Liam.




0 comentários:

Qual a música? "No one in the world could stop me from not moving on, baby. Even if I want to..."

Por: Milinha Malik. Tecnologia do Blogger.

Cupcakes Visitantes ♫♫

♥Books♥

Translate

Talk to me!!

Twitter

♥Cupcakes♥


widget

Instagram

Instagram

Seguidores

Quem sou eu

Minha foto

Hello pessoas,
Sei que muitos não lerão isso, não se importaram com isso, não vão querer ao menos ver isso.
Mas não tem problema, isso aqui é pra quem quer ler.
Sou apaixonada por livros, amo escrever e, acima de tudo, amo One Direction, pois foi graças a eles que eu descobri o meu amor pela escrita.
Não espero que gostem das minhas histórias, mas aos que gostam: Obrigada.
Quem quiser entrar em contato é só seguir no Twitter: @miamelo1d

Agenda!